Learning Analytics: qual a importância dos dados no processo educativo?

Learning Analytics

Compartilhe:

A ciência de dados tem forte presença no mundo dos negócios e na educação vem ganhando espaço e reconhecimento. Isso porque é muito mais simples e assertivo tomar decisões estratégicas, pedagógicas ou administrativas a partir de dados concretos e relevantes. Nesse sentido, o Learning Analytics é um conceito que pode ser aplicado em ferramentas tecnológicas para a produção de dados.

Está curioso para saber o que significa esse conceito e como ele funciona? Então aproveite o material que preparamos especialmente para você! Boa leitura!

O que é Learning Analytics?

O Learning Analytics é um conceito de análise de dados de aprendizagem. A sua aplicação ocorre por meio de uma ferramenta tecnológica estratégica que fornece dados de aprendizagem aos professores e gestores escolares. 

Os dados são coletados por meio de vários recursos educacionais, como avaliações, simulados e diagnósticas. Quando essa coleta é feita por plataformas de aprendizagem que usam de inteligência artificial, esse processo é bastante facilitado. 

Logo, a plataforma identifica diversas informações, sejam elas lacunas de conhecimento, conteúdos já compreendidos e até mesmo dados comportamentais, como o ritmo de aprendizado ou a preferência por um recurso midiático. Todos esses e outros dados compõem o que chamamos de “Big Data”, um conceito que trata da coleta, interpretação e armazenamento de dados.

A partir dessa coleta, as informações são disponibilizadas de maneira diagnóstica, ou seja, como um dado inicial sobre os alunos e sobre a turma. Além disso, é possível acompanhar a performance dos estudantes, ou seja, verificar a evolução do aprendizado deles.

Dessa forma, com informações mensuráveis e confiáveis em mãos, é possível analisar e interpretar os dados e, a partir disso, tomar decisões embasadas tanto do ponto de vista pedagógico quanto do ponto de vista estratégico para a gestão escolar.

Quais os benefícios desse conceito?

O Learning Analytics beneficia toda a comunidade escolar, subsidiando alunos, professores e gestores com dados de aprendizagem relevantes para potencializar o processo de ensino-aprendizagem na sala de aula. Confira os principais benefícios das ferramentas de Learning Analytics.

Personalização do ensino

Em primeiro lugar, a ferramenta permite a personalização do ensino, o que torna esse processo adaptado a cada aluno e, consequentemente, a cada turma. Isso significa que a experiência dos estudantes torna-se muito mais significativa, afinal, se cada indivíduo é único, por que o processo de aprendizagem precisa ser padronizado?

Assim, estudando por meio de trilhas de aprendizagem personalizadas, é possível que todos alcancem um mesmo objetivo, mas cada um à sua maneira. E é esta a proposta de um ensino adaptativo, por exemplo. Como falamos antes, as ferramentas de Learning Analytics fornecerão dados de aprendizagem dos estudantes, os quais serão necessários para a construção de indicadores e métricas estratégicas para a escola.

Otimização do tempo dos professores

Contudo, se você acha que um ensino adaptativo é benéfico apenas para os alunos, não se engane! O professor ganha e muito com o Learning Analytics, afinal, é por meio dos dados que o professor consegue identificar quais conteúdos os estudantes têm mais facilidade ou dificuldade no aprendizado.

Com isso, o educador poderá direcionar suas práticas pedagógicas às lacunas de conhecimento dos estudantes, ou até mesmo potencializar conhecimentos que já foram bem assimilados por eles. Enfim, tudo isso apoiando o trabalho pedagógico da equipe escolar.

Apoio ao planejamento pedagógico

Com informações estratégicas e mais tempo para pensar em práticas pedagógicas, sem dúvidas, os professores conseguem se sentir mais empoderados para intervir intencionalmente na escola, nos conteúdos e nas práticas em sala de aula.

É claro que seria possível fazer isso sem o uso da tecnologia, porém, demandaria muito mais tempo e trabalho para alcançar indicadores educacionais de sucesso, não é mesmo? Assim, a tecnologia agiliza e automatiza esse processo, dando mais autonomia e ampliando as possibilidades pedagógicas ao professor.

Vale destacar que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) ressalta a importância de uma educação integral em que “A sociedade contemporânea impõe um olhar inovador e inclusivo a questões centrais do processo educativo: o que aprender, para que aprender, como ensinar, como promover redes de aprendizagem colaborativa e como avaliar o aprendizado.

Portanto, melhorar os resultados dos alunos, tendo a tecnologia como aliada, é muito mais simples e prático. Por isso, é fundamental que os professores utilizem dados para promover e melhorar a educação integral. Mas como é possível usar o Learning Analytics na prática? Vamos descobrir juntos?

Learning Analytics na prática

Se você chegou até aqui, já entendeu o conceito de Learning Analytics e também quais as vantagens que ele traz para o planejamento pedagógico. Agora é preciso conhecer na prática como ela pode ser usada de maneira estratégica e, para isso, nada melhor que bons exemplos para ilustrar a teoria:

Exemplo 1: 

O professor disponibilizou um arquivo em formato PDF com tempo de leitura estimado em 30 minutos. Porém, mais da metade dos alunos de uma turma levou 1 hora para ler o documento. Bom, gastar o dobro do tempo para uma leitura prevista para ser rápida não pode ser interpretado como uma normalidade. Por isso, identificar o motivo que ocasionou este comportamento deve ser priorizado nesta situação.

Algumas reflexões podem te ajudar nesse sentido: Será que o texto não é atrativo? A dificuldade dos estudantes é maior que o nível de conhecimento deles? Com esta informação em mãos, é possível adaptar novos formatos de leituras, além de propor leituras compartilhadas ou leituras de trechos para posterior discussão e compreensão individual ou em grupo.

Exemplo 2: 

O professor liberou uma videoaula para a classe. O tempo estimado para assistir à videoaula é de 45 minutos, mas 70% da turma assistiu apenas os 20 primeiros minutos da videoaula. 

Essa é uma típica situação do dia a dia do professor, onde fica claro que há um problema no formato da videoaula proposta. Talvez a videoaula seja muito teórica, carente de exemplos mais práticos. Talvez os estudantes prefiram videoaulas segmentadas, ou seja, mais vídeos com menor duração de tempo. 

Enfim, as possibilidades são muitas, logo, cabe ao educador analisar os dados e, a partir deles, propor mudanças de maneira a melhor engajar os estudantes nas atividades.

Exemplo 3:

O professor passou determinado conteúdo para a turma e, em seguida, disponibilizou alguns exercícios para verificação do conhecimento. Contudo, os alunos demonstraram um baixo desempenho na resolução das atividades, sendo que somente 30% da classe conseguiu alcançar os resultados esperados.

Diante desta situação, o professor pode entender que o assunto não ficou suficientemente claro para o restante da turma e, com isso, propor uma revisão do conteúdo ou até mesmo incentivar novas formas de estudo para a classe, de maneira que os estudantes possam treinar diferentes habilidades de aprendizagem, seja através de um exercício de ouvir um podcast ou por meio de um filme que contextualize e aprofunde um tema discutido em sala de aula, por exemplo. 

Por fim, por meio de um diagnóstico, será possível perceber se os alunos conseguiram assimilar o conteúdo proposto ou se ainda precisam de reforço.

Esses exemplos são apenas algumas possibilidades que o Learning Analytics permite à equipe escolar. O uso de dados como parte da rotina escolar possibilitará intervenções pedagógicas ao longo do processo ensino-aprendizagem, apoiando, assim, na consolidação do conhecimento por parte dos estudantes.

Com isso, o professor evita saber das dificuldades dos estudantes apenas no momento das avaliações finais que compõem a média escolar. Cientes do potencial do Learning Analytics, todos saem ganhando, afinal, o objetivo de todos é que o aprendizado, ainda que com seus desafios e oportunidades, aconteça de maneira produtiva e engajadora.

Learning Analytics: dados que geram resultados

Você sabia que o Learning Analytics melhora, inclusive, os resultados dos estudantes em provas de vestibular e no ENEM? Demais, não é verdade? 

Isso acontece porque um ensino-aprendizado personalizado torna o estudante protagonista do conhecimento ao mesmo tempo em que o professor tem muito mais segurança para tomar decisões que potencializam o ciclo de aprendizagem dos estudantes. Veja nesta publicação o que dizem os diretores de escolas que são destaque no ENEM.

Leia também

Gostou? Receba conteúdos como este!

Newsletter quinzenal com conteúdos para simplificar o seu trabalho

Seus dados estarão protegidos e serão usados conforme a nossa Política de Privacidade.

Compartilhe:

Explore outros conteúdos

amaiseducacao.com.br

Conte para nós: o que você está buscando?

small_c_popup.png

Vamos conversar pelo WhatsApp

Fale com nosso
time comercial