Como evitar a evasão escolar? 5 ações para colocar em prática hoje mesmo

Mãos em cima de gráficos impressos avaliando como evitar a evasão escolar

Compartilhe:

Como evitar a evasão escolar? Se você está enfrentando desafios para reduzir este indicador, este conteúdo te auxiliará com algumas boas práticas.

Infelizmente, a evasão é um problema que atinge escolas públicas e privadas, e são várias as causas que levam a isso. Como exemplo, podemos citar o desemprego dos responsáveis, ausência de estrutura familiar saudável, dificuldades financeiras e até mesmo a gravidez precoce.

A escola fica de mãos atadas diante dessas situações, pois não tem poder sobre motivos externos à instituição. Por outro lado, a evasão também é motivada por razões internas e, nesse caso, a escola pode agir previamente. 

E quais são essas razões? Pode ser a insatisfação com as metodologias pedagógicas aplicadas, a má qualidade no atendimento, a falta de interesse pelo estudo etc. Esta última, por exemplo, é uma das mais frequentes justificativas para a evasão escolar. 

É o que mostra os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), realizada em 2019. Do total de 50 milhões de jovens entrevistados, 29,2% alegaram que o principal motivo para evasão escolar foi a falta de interesse em estudar.

Será que é possível diminuir este percentual? Quais outros fatores internos podem ser melhorados? Continue lendo e descubra!

Veja como evitar a evasão escolar com 5 ações estratégicas

Listamos a seguir 5 ações estratégicas para tentar reverter ou pelo menos reduzir esse quadro de evasão e, de quebra, contribuir com a gestão da permanência com qualidade. Confira!

1. Faça um diagnóstico das causas de evasão escolar

Antes de entender como evitar a evasão escolar, é preciso conhecer suas causas. Afinal, as realidades das instituições são diferentes e somente com um diagnóstico é possível atuar assertivamente na redução desse indicador. 

Nesse sentido, existem algumas formas de aplicar um diagnóstico. Listamos quatro delas a seguir, as quais podem ser feitas simultaneamente, complementando uma a outra:

Mapear a identidade da comunidade escolar

A escola não está isolada da sociedade, pelo contrário, ela é uma das instituições sociais em meio a tantas outras, como a família, a igreja, as associações, as empresas e o restante da comunidade.

Diante disso, a escola precisa levar em conta as transformações da sociedade da qual faz parte e as várias contradições que desafiam os educadores que nela trabalham. Logo, faz parte do seu papel enquanto gestor escolar, mapear a identidade da sua comunidade escolar e construir, assim, uma cultura identitária da escola.

Identificar taxas de abandono

O Censo Escolar, realizado pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), apresenta informações valiosas, entre elas as taxas de abandono escolar, que podem ser identificadas pela sua instituição de ensino.

A partir disso, é possível atuar na busca ativa desses estudantes na tentativa de reinseri-los na escola, prática que pode ajudar na diminuição das taxas de evasão.

Aplicar uma avaliação institucional

A avaliação institucional identifica quais são as fortalezas e fragilidades das instituições de ensino, a nível de infraestrutura, metodologia, qualidade do corpo docente, entre outros fatores.

É possível aplicá-la periodicamente com todas as turmas e com as famílias, por exemplo. Dessa forma, serão identificados quem são os potenciais alunos evasores e as razões que os levariam a deixar a instituição.

Também pode-se aplicar sempre que um aluno sair da instituição, onde a escola é capaz de investigar o motivo da saída. Assim, conhecerá não só as razões que levaram o estudante  a deixar a sala de aula, mas também outros pontos relevantes como oportunidades de melhoria ou ações bem-sucedidas.

Sem dúvidas, agir preventivamente é mais eficaz, pois a escola pode tentar recuperar esses alunos. Além de mapear quais são as causas de evasão escolar, a instituição pode identificar as mais frequentes. Ou seja, se uma mesma situação está motivando os estudantes a evadirem, há um sinal de alerta que precisa de devida atenção.

Uma ferramenta online de avaliação institucional pode tornar esse processo mais assertivo. Por meio de relatórios e gráficos, a gestão escolar obtém não só dados de evasão mas também do clima institucional como um todo.

Ter dados sobre o desempenho acadêmico e a frequência escolar

Além de dados institucionais, todo gestor escolar precisa ter dados de aprendizagem. É indispensável saber como está o desempenho dos estudantes nas avaliações internas e externas (PISA, Prova Brasil, SAEB, Ideb e outras) e a frequência escolar.

Mas para que seja possível obter e administrar esses dados, o corpo docente deve ter um local para registrar essas informações. Uma das formas de fazer isso é usar uma plataforma LMS, também chamada de sistema de gestão de ensino e aprendizagem. 

Essa ferramenta gera informações relevantes e em tempo real, por meio de dashboards, centralizando um histórico robusto de informações para a tomada de decisões, além de otimizar e automatizar o tempo de coleta e tabulação de todos esses dados.

De posse dessas informações, a gestão ou até a coordenação pedagógica pode identificar pontos de atenção no processo de ensino e aprendizagem. Por exemplo, se muitos estudantes estão faltando em uma determinada disciplina, algum ajuste precisa ser feito, não é mesmo?

Veja alguns motivos que podem levar à baixa frequência ou desempenho escolar:

  • Uso ineficaz de metodologias pedagógicas;
  • Dificuldade de acompanhar o rendimento da turma;
  • Sofrimento de bullying;
  • Ausência ou pouco uso de recursos multimidiáticos;
  • Falta de didática para simplificar temas complexos;
  • Falta de uso dos conteúdos em contextos reais;
  • Pouca ou nenhuma oportunidade de exercer protagonismo e autonomia estudantil.

Essas informações, inclusive, podem ser identificadas também na avaliação institucional que comentamos antes. Afinal, a escola pode explorar a ferramenta, formulando questões relacionadas às metodologias, aos professores, as atividades feitas em sala etc.

2. Elabore e coloque em prática um plano de ação

A partir do diagnóstico, a escola pode começar a pensar sobre como evitar a evasão escolar. Para ter uma visão geral do que precisa ser feito, é possível elaborar um plano de ação, organizando atividades, prazos e responsáveis por cada tarefa. 

E por falar em responsáveis, é importante que todos os envolvidos tenham ciência de que o plano de ação é coletivo, em prol de um objetivo comum. Logo, para o sucesso do plano todos precisam trabalhar em equipe.

No plano de ação, você também pode colocar quais são as prioridades, mas tome cuidado para identificar corretamente as matrizes de prioridades, entendendo a diferença entre urgência e importância, bem como impacto e esforço.

Levando em consideração esses parâmetros, você compreenderá quais causas de evasão são mais urgentes e precisam de uma atenção imediata. Por exemplo, se algum aluno está sofrendo bullying, a escola não pode aguardar o próximo período letivo para tomar medidas.

Ao contrário, para causas que necessitem de investimento financeiro, como a melhoria da infraestrutura, talvez seja o caso de incluir isso no próximo orçamento, dentro do planejamento estratégico escolar.

Além de montar um plano de ação, é essencial acompanhar o andamento das atividades, garantindo o cumprimento das ações planejadas. Como o dia a dia do gestor escolar é disputado entre várias demandas, podem ser denominados responsáveis por acompanhar as ações, promovendo inclusive a interação entre as equipes escolares.

Para facilitar a execução das atividades, a escola pode adotar um modelo ágil de trabalho, que têm rotinas pré-definidas, reuniões curtas, objetivas e diárias e entregas quinzenais ou mensais. Dessa forma, fica muito mais fácil tirar o plano de ação do papel e acompanhar de perto como está o progresso das ações.

Ressaltamos que no momento de produção ou revisão do Planejamento Político Pedagógico (PPP), a escola já pode estabelecer metas de redução da evasão como um dever de toda a comunidade escolar. Dessa forma, transforma-se o plano de ação em uma rotina e não mais em uma atividade pontual. 

3. Fortaleça a relação da escola com as famílias

Talvez você identifique em seu diagnóstico que fortalecer a relação escolar com as famílias pode ser uma das formas de evitar a evasão escolar.

Porém, independentemente de esse fator constar ou não no diagnóstico da sua escola, é fundamental que esta seja uma prática constante.

Afinal, a família é um pilar essencial para a educação. E nas ações de aproximação com elas é possível perceber potenciais evasões.

Por exemplo, se determinada família nunca participa das reuniões escolares, talvez não esteja engajada com a escola, não veja valor nesta ação ou até mesmo esteja enfrentando desafios sociais que, neste momento, a impeça de priorizar a relação com a escola.

Da mesma forma, uma família mais participativa pode ter sugestões de melhoria que a gestão escolar não esteja percebendo. Avaliar e colocar em prática essas sugestões faz com que a família se sinta parte da solução dos problemas da escola, tornando-se ainda mais engajada e podendo servir de influência positiva para outras famílias.

Mas afinal, como é possível estreitar esse relacionamento? Não vale chamar as famílias na escola somente para apontar os erros dos alunos, tá bem? Para te ajudar, confira algumas sugestões a seguir:

  • Organize eventos para as famílias, como varal solidário, noite de jogos, caminhada e leitura em família etc.;
  • Mantenha uma comunicação rápida e eficiente;
  • Use as redes sociais e outros canais de comunicação para informar boas práticas da comunidade escolar, como um trabalho que um professor fez com os alunos, uma ação solidária liderada por uma turma e outras novidades do dia a dia escolar;
  • Promova reuniões periodicamente para discussão com as famílias, tanto de pontos positivos quanto a melhorar. Estimule-as a trazer sugestões para solucionar problemas ou caminhos a serem seguidos;
  • Crie um comitê, composto por responsáveis, para liderar pautas importantes e representar outras famílias nas tomadas de decisões da escola;
  • Comunique a baixa frequência ou a redução do desempenho escolar.

Lembre-se também de divulgar as campanhas de captação de alunos para toda a comunidade escolar, reforçando as boas práticas que a sua escola possui. Essa ação reforça o posicionamento da marca e os diferenciais da sua instituição de ensino, contribuindo com a gestão da permanência de estudantes.

Webinar gratuito: como aumentar a captação de alunos?

4. Ofereça múltiplos canais de atendimento para estudantes e famílias

Se você chegou até aqui, deve ter percebido que as ações mencionadas até então são proativas, ou seja, é a escola que busca entender como evitar a evasão escolar através da realização de diagnósticos, elaboração de um plano de ação e fortalecimento do relacionamento com as famílias.

Além dessas iniciativas, é possível implementar ações que por si só trarão um feedback para a instituição, como oferecer diversos canais de atendimento a estudantes e responsáveis.

Esses recursos são importantes, inclusive, para alcançar as pessoas que, por algum motivo, não se sentem confortáveis em conversar com os professores, a coordenação pedagógica ou a diretoria escolar.

Assim, facilitar esse acesso por meio de uma ouvidoria anônima pode ser uma boa maneira de ouvir a sua comunidade escolar e agir conforme necessário.

Dispor de um canal de e-mail também pode ser uma medida interessante para os que preferem se comunicar por escrito ou até mesmo para formalizar uma situação.

Também vale ressaltar a importância de disponibilizar um aplicativo de comunicação para atendimentos rápidos, aumentando a experiência de atendimento e reduzindo uma possível insatisfação com os serviços prestados pela escola.

O app pode ser também um meio para o envio da avaliação institucional. Dessa forma, entregando a avaliação em um dispositivo móvel, acessível na palma da mão, você aumenta a taxa de resposta e de adesão, além de poder intervir em tempo real, aumentando o engajamento das famílias.

Por fim, tenha sempre horários disponíveis em sua agenda para atender estudantes e famílias de forma presencial. Acolhê-los é fundamental!

5. Aposte em metodologias ativas de aprendizagem e na tecnologia

Você lembra dos dados que trouxemos no início deste conteúdo a respeito da falta de interesse em estudar? Infelizmente, em muitos casos, isso está ligado ao fato de que as escolas não são atrativas, não conversam com a realidade dos estudantes e, principalmente, não consideram a forma como eles consomem conteúdo e como aprendem.

Mas a boa notícia é que é possível tornar as aulas mais atrativas, dinâmicas e divertidas usando as metodologias ativas de aprendizagem aliadas à tecnologia.

Metodologias como gamificação, sala de aula invertida, STEAM e aprendizagem maker estimulam o protagonismo e a autonomia do estudante. Além disso, integram o conteúdo teórico à prática, aproximando os estudantes dos contextos reais vivenciados fora do ambiente escolar.

Também é importante buscar formas de inserir as tecnologias em sala de aula por meio de atividades que usem ferramentas digitais para pesquisa, avaliações, exercícios e até mesmo jogos. 

Isso pode ser definido no planejamento pedagógico, instigando o corpo docente a pensar em práticas que envolvam a tecnologia com finalidade pedagógica muito clara em relação ao uso e proposta, para que todos os envolvidos compreendam o porquê de usar tais ferramentas.

Para reforçar a importância dessa última ação estratégica, destacamos abaixo dois trechos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que ressaltam a importância de: 

  • Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e do tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
  • Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de alunos, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização etc;

Viu só como evitar a evasão escolar pode ser mais fácil com essas 5 ações estratégicas? Agora que tal conferir 3 passos para reduzir a inadimplência escolar, uma das consequências da evasão?

Leia também

Gostou? Receba conteúdos como este!

Newsletter quinzenal com conteúdos para simplificar o seu trabalho

Seus dados estarão protegidos e serão usados conforme a nossa Política de Privacidade.

Compartilhe:

Explore outros conteúdos

amaiseducacao.com.br

Conte para nós: o que você está buscando?

small_c_popup.png

Vamos conversar pelo WhatsApp

Fale com nosso
time comercial